Prevenção ou correção? O que é melhor?

As alterações ergonômicas no trabalho, além de proporcionar ao operário conforto e segurança, beneficiam a empresa com um aumento de produtividade com qualidade.

Tais fatores tornam a ergonomia de fundamental importância tanto para o operário como para a empresa.

Desta forma deve ser utilizada visando obter o maior proveito possível de ambas as partes.

A ergonomia pode ser classificada de acordo com o momento em que é utilizada .

Sylvia_photo_01.jpg (5225 bytes)
Sylvia Volpi

Professora e  Conslutora
de Ergonomia 


A Ergonomia de Concepção (preventiva) atua no projeto do Posto de Trabalho, enquanto que a Ergonomia de concepção (corretiva) acontece quando há a intervenção em um Posto de Trabalho já existente.

Como tudo na vida, ambas possuem seus aspectos positivos e negativos.

A Ergonomia de concepção ocorrendo durante a fase inicial de projeto do Posto de Trabalho, instrumentos, máquinas, sistemas de produção, organização do trabalho e ambiente entre outros é considerada de grande eficácia e com grande compensação da relação custo/benefício.

Permite que se examinem vários tipos de alternativas através de simulações de situações de trabalho de acordo com a tarefa a ser executada em busca da melhor entre as opções, tanto no que se refere ao mobiliário a ser utilizado como à organização do trabalho.

Porém por mais perfeitas que possam ser tais simulações, dificilmente pode se criar um ambiente de trabalho reproduzido-o com todas as suas influências e variáveis, os aspectos psicológicos a que estarão sujeitos os trabalhadores, crises empresariais, situações de exigência de produção entre outros.

A "experiência vivida" pelo usuário através de seu método próprio, ordem de operações, suas adaptações ao trabalho, seu ritmo individual, quais são ou podem ser os incidentes e como lidar com eles, demonstram a importância da sua participação em qualquer processo de melhoria.

Esta "experiência vivida", é um fator que dificilmente poderá fazer parte deste processo. Assim que concebido um novo Posto de Trabalho a confecção da Ficha Profissiográfica é muito importante.

Nela constam as exigências da tarefa, perfil psicológico, médico e antropométrico do usuário ideal para este posto de Trabalho, visando selecionar entre os profissionais capacitados para a função o que melhor se adapta ao posto.

A Ergonomia de Correção é utilizada em Postos de Trabalho já existentes, neste caso o Posto de Trabalho é analisado conforme a tarefa que já é executada.

Aqui a "experiência vivida" pelo seu usuário transforma-se no principal instrumento do estudo ergonômico. Não há ninguém mais capacitado para falar sobre uma tarefa do que quem a executa e também, da mesma forma, interessado em melhorias das condições de trabalho.

Há casos em que apenas a modificação da Organização do Trabalho é suficiente para melhorias. Outros em que o Posto de Trabalho poderá possivelmente ser adaptado ou modificado conforme as formas de sua utilização. Neste caso apesar de um maior conhecimento da tarefa modificações ideais são muitas vezes difíceis e complexas e por vezes também onerosas.

Parte-se então para o arranjo do Posto de Trabalho e adaptações criativas.

Cabe frisar que as adaptações criativas exigem larga experiência em ergonomia e devem ter como preocupação principal a segurança do usuário, visto que, há muitos casos de acidentes gerados por modificações efetuadas por profissionais não qualificados em nome da ergonomia.

Nem sempre a solução melhor ergonomicamente é viável e nem definitiva, as conseqüências devem ser analisadas cuidadosamente.

É imprescindível o acompanhamento posterior a concepções ou correções para reavaliação.

Podem ocorrer situações onde determinadas alterações visando a eliminação de algum fator de risco gere outro fator por vezes ainda mais prejudicial, tornando inválida a intervenção Ergonômica. 

Conclui-se que não se pode optar por utilizar-se de um ou outro tipo de ergonomia e sim deve-se utilizar os dois pois estes se completam.

Sem jamais esquecer porém que para que as modificações ergonômicas possam surtir efeito e se tornarem eficazes é necessária a participação e conscientização da empresa e principalmente do funcionário.

  

Webmaker: M. Canton