IV COBET

Congresso Brasileiro de Ergonomia Aplicada à Segurança e Medicina do Trabalho
Tema: "DORT/LER BUSCANDO A PREVENÇÃO PLENA"

Data:  16 a 17 de Agosto de 2001
Local: XII FISP no Centro de Exposição Imigrantes
Endereço:  Rodovia dos Imigrantes km 1,5 - São Paulo - SP.
Coordenação: A coordenação do evento está a cargo da Ergonomista Sylvia Volpi, conhecida especialista da área, Presidente do Comitê de Ergonomia da ABS - Agência Brasil de Segurança, que promove o evento. Ela também é coordenadora do Congresso de Ergonomia do Mercosul.


Contará com a participação de palestrantes, todos renomados especialistas da área , conhecidos por sua dedicação e capacidade.

"A competição está ficando cada vez mais dura e contar com e contar com uma força 
de trabalho satisfeita e em boa forma trabalho satisfeita e em boa forma é absolutamente essencial. Se a empresa não dispuser de funcionários saudáveis, não poderá competir. Na economia globalizada de hoje, recursos humanos e capital humano adequados são fatores dos mais importantes em qualquer tipo de negócio".

Os DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho) antes chamados LER (Lesões por Esforços Repetitivos) estão cada vez mais presentes nas empresas brasileiras e levam a prejuízos incalculáveis para o ser humano, a empresa, a sociedade e o país.

Nos EUA a situação se tornou alarmante. Atualmente os DORT/LER afetam um milhão de trabalhadores e custam de 45 a 54 bilhões em indenizações e queda na produtividade, segundo informe deste ano do National Research Council e o Institute of Medicine, integrantes da National Academies of Science,, afora gastos também astronômicos com tratamento.

Entrou vigor em 16 de janeiro de 2001 nos EUA a Norma de Programas de Prevenção em Ergonomia, obrigatória no país. Publicada em novembro de 2000 pelo OSHA ("Occupational Safety and Health Administration" sobre Ergonomia o órgão oficial do governo norte americano sobre normas ocupacionais. Ela visa estabilizar a situação do país neste aspecto.

No Brasil a situação já é grave e os custos também são altíssimos e não há planificação para se controlar o problema que aumenta absurdamente a cada dia.

Não estamos totalmente preparados para isto. Necessitamos de informação, conscientização e caminhos para lutar contra este mal.

Ainda temos condições de controlar e resolver o problema se tomarmos providências eficazes e imediatas .

Na prevenção não há tempo a perder !

  

Webmaker: M. Canton